sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Traição feminina: Carência e vingança são os principais motivos

Carência emocional e vingança. Esses são os principais motivos que levariam uma mulher a trair, de acordo com pesquisa realizada pelo site Papo Íntimo, do Portal Terra. O levantamento de dados foi realizado com 977 mulheres, com idades entre 18 e 45 anos de todos os estados brasileiros. Além da traição, a enquete também perguntou sobre o uso dos sentidos durante a relação sexual, brinquedos de sex shop, orgasmo e prevenção contra a gravidez.


Entre as razões que fariam a mulher trair seu companheiro destacam-se a carência emocional com 33% dos votos e a vingança com 22%. Outros motivos são: pura atração física e carência sexual com 17% cada, aversão a monogamia com 1% e outros fatores com 10% dos votos. Para a psicanalista Cláudia Murta, a mulher age de forma reativa. "A traição ainda é mais comum por parte do homem e quando ela acontece faz com que a mulher aja de forma reativa, para dar o troco", explica.

Por outro lado, a médica, sexóloga e terapeuta de casal, Lorena Menegueli Batista, que atende seus pacientes em Vitória, defende que a mulher não trai por vingança ou por impulso. "Com as história que meus pacientes levam para o consultório, eu percebo que quando a mulher chega a trair é porque não está mais satisfeita com seu relacionamento, sente-se deixada de lado, abandonada. A mulher não é uma caçadora, ao contrário dos homens", afirma.

Outro ponto defendido pelas duas profissionais é que os problemas em um relacionamento que podem desencadear uma traição feminina vão além de um deslize sexual ou afetivo do companheiro. "A mulher pode se sentir traída de várias formas, por exemplo se o companheiro a deixa de lado para ficar com os amigos, ir ao futebol, ou mesmo se ele dedica-se mais ao computador do que a ela, se não existe um diálogo para falar do relacionamento, dos filhos, das rotinas familiares", enfatiza. A doutora Cláudia complementa. "Se a mulher não está sendo minimamente assistida, a traição pode, sim, acontecer".

O curioso é que, de acordo com os estudos da psicanalista, nem sempre a traição irá surtir efeitos negativos em um relacionamento. "Se a mulher não gosta de relações sexuais e o marido a trai com outra pessoa, o problema na vivência desse casal pode estar solucionado, sem que a esposa se incomode com essa situação", exemplifica.

O consenso entre as duas se dá quando o assunto é encontrar a estabilidade conjugal. Tanto para a sexóloga, quanto para a psicanalista um relacionamento não se sustenta apenas com amor e companheirismo. A comunicação em uma relação turbulenta torna-se um dos pontos fundamentais para o bom entendimento do casal. É preciso, antes que se tome qualquer atitude precipitada, que o casal esclareça os pontos que lhe incomodam e tentem, juntos, encontrar uma solução para os seus problemas.
Fonte: A Gazeta



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se livre para deixar um comentário ... Aguarde, seu comentário poderá levar alguns minutos para ser exibido.